FULGENCIO MESEGUER GALÁN


Fulgencio Meseguer Galán

Eu visitei muitas grandes empresas e o "normal" ou o que eu estou acostumado (e com isso eu não quero dizer que os outros não) é que quando você passa o primeiro filtro de recepção, faz você esperar em uma pequena sala (ou muito grande é a recepção e sala de espera do Software DELSOL) e depois de comunicar por telefone sobre a sua chegada, eles informam sobre a disponibilidade da pessoa com quem você organizou a consulta, então eles geralmente acompanham você para o escritório correspondente ou te dizer o caminho

Qual é a minha surpresa que ele mesmo de 2 ou 3 andares e chegar onde estou para receber e me receber e me acompanhar para a sala de diretoria onde a entrevista ocorreu.

Eu tenho que dizer que eu pude verificar que não só ele faz isso, porque enquanto eu estava esperando pelo aviso de recepção eu pude ver como outras pessoas que estavam lá também esperando foram recebidas da mesma forma por outro dos responsáveis ​​pelo departamento de Marketing. Não só eles me receberam tão gentilmente, como também me acompanharam até a porta de saída ao final da entrevista. São pequenos detalhes que criam um vínculo de cordialidade e proximidade entre a marca e as pessoas. Porque afinal, as marcas são pessoas e as pessoas fazem grandes marcas.

Proprietário e Diretor Executivo do Software DELSOL;

Eles são as primeiras palavras que falam Google sobre esse empresário.

Fulgencio, ou Ful, como ele gosta de ser chamado por seus amigos ou colegas de uma forma amorosa, é uma caixa de surpresas. É um homem perfeccionista e não deixa nada para a improvisação.

Sem mais demora aqui eu apresento a entrevista mais pessoal de Ful "De coração para coração":

1-Mas … Quem é para si mesmo Fulgencio Meseguer Galán?

Olha, é algo que eu nunca fui perguntado em uma entrevista, e esta manhã eu estava esperando que talvez aparecesse na sua, e é por isso que comecei a escrever um pequeno relato do que ele responderia:

  • Amante dos meus filhos, meu parceiro, minha família e meus amigos
  • Obsessivo da perfeição e do uso do tempo. Exigindo comigo mesmo e com as pessoas ao meu redor. Autocrítica por natureza.
  • Fervente viajante, sempre com 2 ou 3 viagens programadas, já pude visitar 18 países ao redor do mundo por enquanto.
  • Um fã de fotografia de viagem, tenho uma conta no Instagram com mais de 6000 seguidores e mais de 400 publicações (instagram.com/chenchomg)
  • Leitor de livros de trabalho: Novelas, ensaios, crônicas … com sempre mais livros na mesa da qual eu posso ler.
  • Cinéfilo por devoção, gosto de filmes que aproveitam o espetacular cinema. Eu sou um seguidor de Tim Burton e Tarantito.
  • Eu gosto de música em geral, mas acima de tudo, os cantores e compositores, e especialmente eu coleciono e aproveito desde cedo as bandas sonoras originais de filmes.
  • Eterno aprendiz de percussionista, maltrato meus tambores acústicos sempre que encontro um buraco
  • Sempre em sintonia com as artes plásticas, design, pintura e teatro. Eu gosto do diferente, mas com alma.
  • Me encanta a gastronomia hedonista, mas gosto ainda mais da simplicidade da gastronomia tradicional.
  • Amante de Jaén, que fiz minha terra com o passar do tempo.
  • Altruísta sempre tocando os limites.
  • Resiliente por natureza. Sempre lutando contra minha disfunção.

Se eu te falasse sobre o profissional, eu diria:

  • Treinamento em informática, empresário por profissão
  • Grande capacidade emprego e sacrifício
  • Visionário inovador e presumido, sempre com o olhar definido há dois anos
  • Bom condutor (meu único mérito auto-proclamado)
  • Socialmente responsável por convicção e talvez por egoísmo

2-Onde ele nasce, onde ele mora, enquanto se lembra de sua infância

Fulgencio nasceu em Jerez de la Frontera, ele morou lá até os 28 anos e veio para Jaén para se casar e este é o lugar onde seu projeto de vida começou.

– Minha infância eu me lembro muito marcada pela minha disfemia, uma doença hereditária. Lembro-me, em minha juventude, de não poder falar duas palavras seguidas. Isso sempre me fez lutar para minha melhora pessoal. Atualmente e há vários anos tenho conseguido me superar e tem sido um esforço excessivo que sempre me acompanhou.

-Meu pai era técnico em eletrônica, e com ele aprendi a profissão e tive minha primeira aproximação com computadores.

3- Você tem alguma lembrança da infância onde, a partir de agora, você perceberia que já possuía habilidades empreendedoras? De onde vem essa faceta?

Eu poderia dizer que eu era um empreendedor pela sobrevivência. Aos 15 anos, meu pai teve um problema de saúde e eu tive que assumir seus negócios. De um jeito totalmente autodidacta, eu fiz o eletrônica com ciência da computação, até que eu tive que ir para o serviço militar. Quando acabou, retomei minha atividade, que era mais voltada para programação de software-.

4. Você acha que o empreendedor nasceu ou é feito?

-Eu acho que o empreendedor se faz, mas em geral sou um cético-empreendedor. É o esforço, o desejo de se destacar, a perseverança …, que faz uma empresa funcionar.

5. Quem foram suas referências?

-Não tenho nenhuma referência específica. Talvez Bill Gates, no meu começo, em 1985, tenha sido essa pessoa admirada que eu queria seguir os passos. Naquela época, sonhei que minha empresa era como a Microsoft na Espanha.

6. Em que momento da sua vida você decidiu começar e não depender dos outros para trabalhar?

Eu sempre fui um auto empregadoEu sempre trabalhei e tive a sorte de trabalhar para o meu projeto. Eu nunca tive a necessidade de trabalhar para terceiros.

7. Como foi a ideia do seu negócio? Você teve muito apoio ou teve que lidar com tudo o que envolve o mundo arriscado do empreendedor?

-Em 1993, este ano marca o 25º aniversário do Software DELSOL, não havia muitos ajuda, incentivos ou subsídios, íamos "arcar com o peito para procurar negócios". Tive a sorte de escolher um setor que estava crescendo, e não foi muito difícil entrar competir desde então havia pouca competição

8. Você já teve medo? Como isso expira?

-Sim, tem havido momentos difíceis, complicados, muito assustadores, nos quais suas pernas enfraquecem. 2008 foi um ano difícil, quando a crise começou, foram anos sofrendo ferimentos e aprendendo a curá-los. Essas cicatrizes ainda estão lá e tornam você mais proativo, mais analista dos números, mais cauteloso.

-Meu limite de investimento Sempre foi muito alto, é por isso que nunca tive grandes economias, já que sempre investi quase tudo. Neste setor ou investir ou você morre, mas é uma faca de dois gumes, faz você ter muito risco em tempos difíceis.

9. Como você consegue uma empresa como a sua? De onde surgiu essa ideia?

-Hoje é importante diferenciar-se do resto da competição. O ano de 2000 foi quando minha empresa optou por diferenciar oferecendo software livre. A chegada do famoso efeito 2000 e a entrada do euro, nos fez desenvolver um novo software, em meio ambiente Windows, substituindo o anterior em MS-DOS, e uma vez desenvolvida essa, optei por investir em sua promoção pela Internet, mais econômica que as tradicionais campanhas publicitárias na imprensa especializada, mas com esse modelo de distribuição diferenciada.

Naquela época, mal tínhamos 100 clientes de software, mas eles eram leais à nossa empresa, renovando nossos serviços de manutenção em 100% dos casos.

Eu pensei que aumentar apenas 10 clientes em um ano aumentaria nosso portfólio em 10%, e foi assim: nos primeiros anos nós crescemos pouco a pouco, mas esse crescimento se tornou exponencial. Hoje, temos nosso registro em 160 novos clientes em 1 apenas dia.

10. Que conselho você daria para as pessoas que estão pensando em começar, ou que acabaram de começar com uma pequena empresa, projeto ou ideia de negócio?

Entrando é um risco, você tem que trabalhar duro e sucesso nunca é garantido. É verdade que trabalhar para um projeto próprio pode ser muito satisfatório. Atualmente Eu lidero meu projeto e tenho 170 pessoas trabalhando alinhadas com ele, e isso me faz sentir feliz.

11- Há um ditado em Taiwan que diz "errado é a mãe do sucesso" O que você acha?

– É verdade, e minha empresa não está livre de erros, de produtos que não funcionaram. O engano Me ensinou, entre outras coisas, a se especializar.

12. Você se atreve a me dizer os principais erros que você cometeu?

-Eu acho que não cometi muitos, sou muito cauteloso. Sempre assegurei meus passos e nunca arrisquei, nem comprometi a viabilidade da empresa. Eu sempre tenho um plano B então eu posso me levantar dos meus erros.

13. Qual é o fator diferenciador que faz uma empresa ter sucesso?

Sem dúvida, a equipe. Software DELSOL é a equipe que o compõe. Eu lidero a orquestra, mas eles são os músicos. Minha riqueza é meus trabalhadores e meu relacionamento com eles.

Minha equipe é minha fraqueza. Não deixe que o ar os toque. Sorria

14. Quais são as qualidades básicas que qualquer empreendedor deve ter?

Basicamente, seja exigente consigo mesmo e acima de tudo, seja constante, sempre dando 100% do que você pode dar. Você não pode ficar em outra porcentagem.

– Também é necessário ser realista, sempre tentando que o objetivo seja distante, mas isso é alcançável.

15. E finalmente gostaria que você fechasse a entrevista com uma frase motivadora da vida que você tem e quer compartilhar com os leitores:

-Que seu trabalho fala por você -.

A entrada FULGENCIO MESEGUER GALÁN aparece primeiro no Community Manager Jaén.

Publicações que valem a leitura:

Milhares lutando com dívidas no hospital por sua saúde mental

Lista dos 10 melhores sites de compras on-line na Índia para produtos baratos e com desconto

Criar hashes MD5 em c# – testes de desempenho e otimização de velocidade

Como criar um blog profissional passo a passo

8 Maneiras Simples para Corrigir o Seu Problema de fluxo de caixa

10 passos para uma otimização de motor de busca bem sucedida

https://testmygeekstuff.com/a-abordagem-correta-para-os-clientes-nocoes-basicas-de-trabalho-independente-bem-sucedido-2/

Marketing de mídia social: uma nova era da indústria de negócios on-line em expansão

Como se apaixonar por um homem